2007 <–clique

04/08/07

tantas coisas pra dizer

que eu nem sei por onde começar…. há muito tempo deixei de postar com a frequência de antes por várias razões, mas ultimamente minha indignação diante de um monte de coisas me fez recorrer novamente a esse instrumento. De Galvão Bueno dizendo na abertura do Pan que o Arnaldo Antunes tinha feito parte dos Mutantes ante do Titãs, passando pelo absurdo orçamento desse evento, os acidentes aéreos, a corrupção epidêmica do Estado Brasileiro, as teorias da conspiração populares, os comentários felizes e infelizes – e os gestos – de celebridades, enfim… dá pra se ter uma idéia do tanto a dizer, o que o leitor não sabe é do pouco tempo que tenho tido pra escrever… mas o leitor deve se perguntar: e daí? afinal não dá pra lamentar o que não se leu.

 

01/08/07

Rios, pontes e overdrives

Impressionantes esculturas de LAMA… (Chico Sciense)

Uma ponte acaba de cair sobre o rio Mississipi, até agora um morto.

Lembro imediatamente do buraco no metrô de São Paulo…

 

27/07/07

Tam, Renan, Lula e OAB

O acidente da Tam era tudo com o que sonhava o senador Renan Calheiros. Tirou os spots de luz da sua cara de hipócrita e ofuscou sua vergonhosa estratégia de governar em causa própria até o limite do absurdo.

O acidente da TAM fez com que as críticas se voltassem novamente contra a figura do presidente Lula. É claro! Estamos todos indignados com a falta de atitude dele diante de tanto caos aéreo e terrestre, político e moral. A sensação que se tem é de que esse país fez como o Titanic, foi anunciado como a grande nação do século XXI e afundou logo após a inauguração…

A OAB está organizando uma manifestação em Agosto: o movimento “cansei”. Como brasileira patriota eu acho que é hora mesmo de sairmos às ruas para protestar, mas não acho que uma manifestação política que seja digna desse nome deve se voltar contra uma empresa como a TAM. É cedo para dizermos que a culpa do acidente é dela, assim sendo, qual a relevância de se manifestar em frente à sua sede quando temos Brasília e toda a corja de bandidos que aquela cidade abriga?

Não sou adepta da desordem social, mas que ordem pode haver com a situação atual? A Veja, que é uma revista que eu abomino – mas que sou obrigada a ler – publicou semana retrasada o ascenção econômica de Renan Calheiros que a partir de 2.000 passou a ter um lucro mensal que pulou de 8.000 reais para 172.000 reais e tudo isso com venda de vacas? Só se forem de ouro em tamanho real…

Como diria Derci Gonçalvez: Porra!

Não podemos deixar que esse trágico acidente aéreo distraia nossa atenção do foco do problema: o foco do apagão aéreo e de centenas de outros problemas brasileiros é a impunidade.

Precisamos ir às ruas sim! Mas para exigir que essa corja seja enquadrada no xadrez, aí eu tenho certeza, todo o sistema vai passar a funcionar melhor.

Operação Mãos Limpas no Brasil, é disso que precisamos.

 

20/05/2007 14:29

Do Blog do Paulo Henrique Amorim

As castas oligárquicas dominam este país… veja o que o jornalista escreveu e pense em como, com nosas instituições políticas podemos evitar… “Paulo Henrique Amorim Máximas e Mínimas 402 . O Conversa Afiada recebeu a seguinte informação de uma alta fonte da Polícia (Republicana) Federal: . Documentos da Operação Furacão indicam que no dia 05 de janeiro de 2007 houve uma ligação de 10 minutos e 29 segundos com referência ao Ministro Gilmar Mendes do Supremo Tribunal Federal. . Sérgio, um advogado preso na Operação Furacão, conversa com outro advogado, Emanoel. . O diálogo é o seguinte: “de colega para colega. O rapaz lá é meu amigo de infância. Quando meu pai era prefeito na cidade, o pai dele era secretário. Quando o papai voltava para o cartório, o pai dele assumia a prefeitura. E os dois governaram Diamantino por 30 anos”. . Tanto Emanoel quanto Gilmar Mendes são de Diamantino, cidade de Matogrosso (clique aqui). . Gilmar Mendes concedeu um HC (habeas corpus) a Ulisses Martins de Souza, preso na Operação Navalha, sem conhecer os autos – segundo informação da Polícia (Republicana) Federal. . Ulisses, ex-procurador geral do Maranhão, aparece na investigação da Polícia (Republicana) Federal como um dos intermediários da empreiteira Gautama. . Emanoel atuou em “embargos auriculares” para obter o HC do Ulisses. . A transcrição de gravações telefônicas não prova nada. São apenas elementos autorizados pela Justiça e que a Justiça julgará.” http://conversa-afiada.ig.com.br/materias/433001-433500/433082/433082_1.htmlenviada por Little-rata

 

04/05/2007 13:23

Grupo móvel resgata 60 trabalhadores na região de Marabá

(recebido por e-mail) Por Beatriz Camargo Em ação que teve início no dia 26 de abril, o grupo móvel de fiscalização do trabalho resgatou 60 pessoas em situação degradante. Os trabalhadores estavam em três fazendas localizadas na região de Marabá (PA). Duas delas, a Tocantins e a São Carlos, são do mesmo dono, Nilton Martins da Costa. As propriedades, dedicadas à pecuária, somam 120 mil hectares e ficam em Itupiranga (PA). Segundo o coordenador da ação, o auditor fiscal Benedito de Lima e Silva, o fazendeiro teria mais propriedades de gado em outras regiões do Pará. Nilton não assinava a carteira de trabalho dos empregados em nenhuma das duas fazendas, nem fornecia Equipamentos de Proteção Individual (EPI) – o que é obrigatório por lei. Os peões, que atuavam no roço de pasto, preparando o terreno para o gado, utilizavam botas que eles mesmos tinham comprado na cidade. A fiscalização registrou, ao todo, 13 autos de infração. Os salários estavam atrasados em 20 dias, mas os trabalhadores costumavam receber adiantamentos para fazer compras na cidade. O fazendeiro desembolsou no total R$ 110.697,62 em verbas de rescisão de contrato e pagamentos devidos nas duas propriedades. Além disso, assinou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público do Trabalho (MPT), se comprometendo a melhorar as condições de trabalho e a doar uma caminhonete L-200, oito laptops, quatro impressoras e quatro pares de rádio-comunicadores ao grupo móvel. Na São Carlos, 33 trabalhadores foram resgatados, entre eles quatro mulheres e dois adolescentes de 17 anos. Todos estavam alojados em barracos de lona e madeira e bebiam água do córrego que passa nas terras da fazenda. Eles mesmos cozinhavam suas refeições, com os alimentos que compravam na cidade. Na Fazenda Tocantins, a 20 km da São Carlos, a fiscalização encontrou 21 trabalhadores em situação similar com relação às condições de alojamento e comida. Ali também havia dois adolescentes de 17 anos trabalhando, além de três mulheres. Fazendeiro preso No dia 30 de abril, a equipe fiscalizou a fazenda Meu Xodó, a 120 km do centro de Marabá, onde foram resgatadas seis pessoas – uma delas era a cozinheira do grupo -, que também faziam o roço do pasto. Ninguém recebia salário desde que a chegada à propriedade, em janeiro. Eles tinham sido aliciados na Vila de Santa Fé, também no município de Marabá. O fazendeiro Jerônimo Aparecido de Freitas, dono da Meu Xodó, onde estão de 800 a mil cabeças de gado, foi preso por porte ilegal de armas. A fiscalização encontrou três espingardas e um revólver, todos sem licença. Os trabalhadores dormiam numa casa de madeira e utilizavam água encanada, o que representa condições melhores do que as das fazendas Tocantins e São Carlos. Segundo o relato feito aos fiscais, os empregados costumavam comer arroz e feijão, e eventualmente carne. Ainda não foi determinado o total da dívida de Jerônimo de Freitas com os trabalhadores. As negociações serão encerradas entre esta quinta-feira (3) e sexta-feira (4).enviada por Little-rata

 

17/04/2007 13:04

Mentiras que as corporações contam…

quem já viu o filme The Corporation sabe do que eu estou falando, quem não viu, leia o texto que recebi por e-mail abaixo: ONG critica propaganda ambiental da CVRD na mídia Envie para um amigoImprimir Nesta quinta-feira (12), a Companhia Vale do Rio Doce, por meio de uma propaganda impressa, afirmou que é possível crescer como mineradora e manter o compromisso com o meio ambiente. Para a Associação Capixaba de Meio Ambiente (Acapema), a propaganda esconde a realidade. “A CVRD continua empurrando com a barriga problemas graves.” “De que adianta anunciar que preservou a Mata Atlântica se aqui, localmente, o problema não está nem perto de ser resolvido?”, questiona Freddy Guimarães, da Acapema. Segundo o ambientalista, de nada adianta a empresa alardear suas ações de pesquisas para proteção de florestas nativas e seu orçamento de R$ 420 milhões para a área ambiental se na prática suas usinas funcionam sem os mecanismos necessários para minimizar sua poluição (precipitadores eletrostáticos) em usinas que estão em funcionamento há mais de 20 anos. Somente este ano a empresa resolveu anunciar a instalação de precipitadores nas Usinas 6 e 7. Antes disso, as usinas poluíam livremente o ar da Grande Vitória. Diversas denúncias neste sentido foram feitas pela Sociedade Civil Organizada ao Ministério Público Federal (MPF) e aos órgãos ambientais competentes. A empresa, que está prestes a requerer a licença para instalar a Usina VIII no Porto de Tubarão, afirma em sua campanha: “Nos tornamos a segunda maior mineradora diversificada do mundo, consolidamos o processo de internacionalização da empresa e conseguimos fazer tudo isso com foco no desenvolvimento sustentável”. A Acapema está descrente. Segundo a entidade, a CVRD anuncia ser ótima para o meio ambiente desde que começou a ser pressionada para instalar mecanismos para minimizar sua poluição. Desde então ela trabalha com grandes campanhas ressaltando sua preocupação ambiental, mas na prática a situação ainda não mudou, informou a organização. Desde a década de 80, somente as exigências legais para que fossem concedidas suas licenças foram capazes de pressionar que a CVRD tomasse iniciativas para poupar o meio ambiente de sua poluição. Ainda assim, há ainda usinas que funcionam – desde sua implantação – sem mecanismos para minimizar a poluição. “Eu não acredito mais na Vale. Quando ela parar de ser questionada pela sociedade, quem sabe? Olha um exemplo: ela há anos é cobrada e só agora anunciou que vai instalar os precipitadores das usinas 6 e 7 como se isso fosse um favor à sociedade e não uma dívida de anos com a sociedade que ela vem prejudicando”, disse Freddy. Da CVRD a sociedade cobra o fim do “pó preto”. Além de causar males à saúde, como problemas respiratórios e alergias, o pó causa desconforto dentro das casas dos capixabas. Segundo depoimentos de moradores da Ilha do Frade, por exemplo, o pó impede que as janelas das casas fiquem abertas durante o dia. Apesar de alardear os milhões que gasta em preservação ambiental, a empresa é ainda a mineradora campeã de multas no Ibama. Só no ano passado ela levou R$ 2,9 milhões em multas através de suas atividades em todo o País. Os capixabas exigem que para sua próxima licença – considerada como certa por ambientalistas – a empresa instale precipitadores eletrostáticos em todas as suas usinas e mecanismos que impeçam a dispersão do pó em seus pátios e na hora do descarregamento em navios como telas de proteção que impeçam a passagem do pó. (Por Flávia Bernardes, Século Diário, 12/04/2007)enviada por Little-rata

 

25/03/2007 15:31

Denúncia

recebido por e-mail: “Polícia seqüestra e tortura camponeses em Rondônia Na manhã dessa quarta-feira, dia 21 de março, por volta das 4h30 da madrugada, cerca de 12 veículos, incluindo viaturas da Polícia Militar e Civil, além de carros particulares com pistoleiros, cercaram as casas de 10 apoiadores da Liga dos Camponeses Pobres, em Jacinópolis – Rondônia. Sem mandato ou ordem de prisão, invadiram as casas dos companheiros de forma truculenta e seqüestraram 10 pessoas, das quais 3 ainda continuam sob custódia da Polícia. Essas últimas foram levadas ao Acampamento José e Nélio, na região rural de Jacinópolis, onde estão sendo submetidas desde a manhã a sessões de tortura com afogamentos, agressões e outras covardias, tudo isso diante de seus familiares. Além das agressões, a polícia e pistoleiros disparam a esmo em direção aos acampados. Não foi dada entrada em nenhuma delegacia da região, alguns companheiros chegaram a ser levados diretamente ao Presídio Urso Branco e outros estão desaparecidos. Pedimos aos cidadãos, entidades democráticas e de direitos humanos que divulguem esta denúncia e punam os responsáveis por essa barbárie. Belo Horizonte, 21 de março de 2007 Liga Operária”enviada por Little-rata

 

05/03/2007 23:28

Puxa saquismo, nepotismo e outros absurdos

outro dia me perguntaram: “Nossa! Com o seu currículo e você dando aulas para o Estado no ensino médio! Por quê?” graduada, mestre e doutoranda pela unicamp eu estufei o peito e respondi: porque se for pra puxar o saco de alguém pra ter uma vaga numa faculdade, vou puxar o saco de alguém grandão, tipo PUC, Unip e de preferência das sucusais lá em Brasília. Essa é uma grande e terrível verdade Histórica brasileira: o tal do QI. em quase todo o território nacional não interessa a ninguém que meu QI seja 170 se eu não tiver Quem Indique o meu nome. Históricamente o Brasil, desde as capitanias hereditárias é um país onde os cargos são ocupados por indicação e não por qualificação e geralmente os indicados aos melhores cargos são familiares, amigos íntimos, amigos íntimos às vezes até demais… uma frase clássica de um nepotista brasileiro: “os meus parentes são as pessoas em quem eu mais confio para ocupar os cargos de confiança no Congresso.” daí que para conseguir uma vaga no mercado de trabalho apenas com um bom currículo seja o equivalente a ser indicado ao Oscar! Ganha a indicação a melhor performance e a melhor autopromoção…enviada por Little-rata

 

11/02/2007 22:10

Menino João

Chorei muito pela morte bárbara de um menininho de 6 anos, vítima não da violência, mas dos requintes de crueldade que parece têm se espalhado entre a bandidagem do Rio de Janeiro. Sempre fui contra a pena de morte, não confio que a justiça é a prova de erros e por isso em toda a minha vida defendi a prisão e o trabalho como forma de punição e “reintegração” à sociedade, mas a morte brutal do menino João pouco tempo após outra morte brutal, a da família que foi queimada viva dentro do carro -incluindo aí outra criança – me faz repensar essa idéia. Talvez seja a hora de uma limpa geral no sistema punitivo, porque eu não consigo imaginar um castigo que seja compatível com tamanho absurdo! Eu choro de novo. Minha solidariedade a essas duas famílias que com certeza sofrem neste momento mais do que um ser humano deveria sofrer. Morte a esses filhos do inferno! Desculpa aos leitores desse blog pelo desabafo, mas isso foi demais até mesmo para mim que já estou meio que calejada de ver e ouvir tanta barbaridade inútil e cruel.enviada por Little-rata

 

30/01/2007 14:10

Fim de Férias

Car@s Leitor@s Estas férias merecem um registro: Desde 2000 eu vinha relutando em viajar no período da virada do ano porque no fatídico ano citado fui quase vítima da enchente em Santa Rita do Sapucaí – MG. Em 2001 enquanto acampava em Martin de Sá – RJ minha casa em Campinas estava sendo assaltada. Depois disso não viajei mais nesta época até esta última virada de ano. Fui para Ubatuba com a família e no dia 2 resolvi me descolar e subir o litoral até Paraty onde tomei um barco para uma charmosa praia de caiçaras onde costumo me hospedar nos meus momentos de interação com a natureza da Mata Exuberante Atlântica. Primeiro perrengue: o banco 24 horas de Paraty estava quebrado, eu fiquei com apenas 80 reais no bolso, mesmo assim insisti em viajar e fiz um acordo meio maluco com o dono do camping onde eu ficaria hospedada. Segundo Perrengue:o mar, que virou um demônio me deixando com gosto de ferrugem na boca, com medo, pavor, pânico e a certeza da morte que não veio, por sorte… Terceiro Perrengue: assim que cheguei a chuva não deu trégua, a lama ao redor dos caminhos para o banheiro, para a praia era desanimadora. Quarto Perrengue: uns paulistanos idiotas assando um peixe a menos de 3 metros da minha barraca e eu ouvindo os “orra meu!” de um babaca chamado Thiago que não parava de dar ordens enquanto chacoalhava seu copo de wisky. aff! Quinto Perrengue: meu colchão inflável furou e eu acordei no chão duro com as costas travadas e uma crise séria de rinite alérgica. Sexto Perrengue: depois de um dia decidi ir embora, era demais para mim. Depois de três horas de barco, cheguei finalmente a Paraty e descubro que bem embaixo de onde meu carro estava estacionado um cano do esgoto havia se rompido, os encanadores estavam escavando dos dois lados da DEBI (o nome do meu fusca e antes que me perguntem, sim fui de fusca), que estava coberta de MERDA. Cheguei a tempo de evitar que o guincho retirasse meu carro dali. Sétimo Perrengue: comecei a subida da serra debaixo de chuva, peguei a Dutra debaixo de chuva e subi a serra de Piquete (Mantiqueira) debaixo de chuva, isso fez com que eu me atrasasse e tive que encontrar um lugar para dormir (Motel Canyon em Itajubá e não, eu não estava acompanhada). Quando acordei no dia seguinte tive que sair correndo porque a cidade e a estrada estavam sendo inundadas pela enchente. Oitavo Perrengue: com medo da enchente parei em Santa Rita do Sapucaí, onde já quase fui vítima da chuva em 2000, fui a um café que costumo frequentar e lá descobri que a ponte em Santa Rita de Caldas (o meu caminho) havia caído e a estrada estava interditada. Nono Perrengue: no mesmo café descobri que podia tomar uma rota alternativa por Ouro Preto, Jacutinga e Espírito Santo do Pinhal, mas eu me recordava que um trecho entre Jacutinga e Pinhal era de estrada de terra, mas o meu “informante” assegurou que a estrada havia sido asfaltada. Enganou-se porém, porque ela não só era de terra como também de lama. Só não atolei porque tenho um fusca chamado DEBI e porque sou um ás no volante (um ás meio trêmulo de apreensão, eu confesso…) Décimo Perrengue: já na estrada de Pinhal para a roça onde eu vivo, suspirando aliviada por ter conseguido sobreviver a tantas aventuras, acontece o que faltava para acontecer de dificuldade inofensiva, porém, DIFÍCIL… meu pneu furou, é claro! Então para evitar esta lista monstruosa de dez perrengues inofensivos só algumas poucas palavras bastam: Não viaje na virada de ano, porque sempre chove nesta época, as praias estão lotadas, o trânsito é péssimo e tudo fica mais caro. FELIZ ANO NOVO A TODOS, é o que me resta a dizer.enviada por Little-rata

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s