2009 <–clique

 

04/09/09

Luis Nassif e O lada perverso da/na Rede

O Lado Perverso da/na Rede

no blog do Luís Nassif uma boa dica para reflexão publicada por Wedencley Alves.

 

“Uma professora da Bahia tem as imagens de sua dança sensual jogada no youtube, e a repercussão acaba resultando na perda do emprego; a cantora Vanusa sofre uma crise de labirintite, durante a interpretação do Hino Nacional na Assembléia Legislativa de São Paulo, e no youtube a versão que ganha força é de que estaria embriagada; uma pesquisadora é acusada e perseguida durante quase uma semana por um blog de esgoto ligado a uma revista sensacionalista de ser “chefe da festa do ecstasy”. Seu pecado? Levar adiante uma pesquisa de pós-doutorado sobre políticas de redução de riscos.

 

O que esses casos revelam? Que a grande rede é ruim por si mesma? Que ela deveria passar por mecanismos de controle para que mais reputações não sejam destruídas?”

(…)

“Deveríamos criar mecanismos mais eficientes para a retirada imediata de imagens como estas da rede, ou dispositivos legais mais rigorosos contra autores que abusam do direito de livre expressão para sugerir, por exemplo, que uma pesquisadora séria é “chefe de festas de drogas”, como no caso do blog aludido acima.

 

A rede é como faca: pode preparar belos pratos, mas pode servir ao assassínio. Não discutir formas mais eficazes de impedir que ela prejudique reputações é não encarar a realidade. Falar em nome de uma liberdade total e irresponsável é compactuar com o lado perverso da Humanidade.”

 

Compreendo o que diz o sr. Alves endossado pelo sr. Nassif. A imediatez da Internet não pressupõe tempo de reflexão algum. A velocidade do apertar de botões é inconsequênte por definição.

No entanto, os tais “mecanismos mais eficientes” que, segundo o artigo, deveriam “impedir que ela (a rede) prejudique reputações” não são possíveis.

O grande problema do prejuízo causado por ações irrefletidas como essas exemplificadas acima, vem justamente das décadas de controle midiático por parte de grandes conglomerados, afastados da realidade e da prática democrática de incluir a população na decisão das pautas jornalísticas e de entretenimento.

A ausência de democracia na comunicação, que perdura até hoje no rádio e na TV gerou uma absoluta falta de educação comunicativa.

O prof. Adilson Citeli há anos vem sugerindo que as escolas públicas incorporem no currículo escolar o tema da comunicação midiática, não apenas como análise – como já existe em várias escolas – mas como prática. Um exemplo é a introdução de rádios de circuito fechado em algumas escolas para a prática efetiva da comunicação – e que tiveram seu auge no final do século passado -, onde os alunos formulam as pautas e executam a produção dos programas, que são transmitidos nos intervalos entre as aulas.

Infelizmente a educação midiática ainda é compreendida pelos diretores das escolas, pelos professores e pelo MEC, como matéria extra-curricular.

O resultado de décadas e mais décadas de ausência de democracia na comunicação reflete no uso desenfreado das novas mídias e suas consequentes anomalias.

Devo discordar da matéria no blog do Luís Nassif no que concerne aos mecanismos de controle. Estes mecanismos são mais descontrolados do que controlados, porque permitem a perpetuação da mídia sequestrada, como instrumento e ferramenta para o uso e abuso dos “especialistas”.

A evidência dessa anomalia está no fato de que a mídia sequestrada do século XX nunca foi à prova de erros ainda mais prejudiciais do que os que o youtube vem gerando. Quem já se esqueceu dos abusos cometidos pela mídia durante o processo de reabertura democrática? Isso não destruiu a reputação de uma ou outra pessoa, mas de uma nação inteira!

A rigor, ninguém está acima de qualquer suspeita e antes de se pensar em mecanismos de controle para a Internet, deveríamos pensar seriamente nas possibilidades de participação democrática existentes no Brasil de hoje.

Dessa perspectiva enxergamos um Brasil sequestrado, refém dos interesses de grandes conglomerados que clamam pela auto-regulamentação há anos! Se o rádio e a TV não permitem mecanismos públicos de controle, nem participação popular, seria incoerência exigir isso da Internet.

Só a prática da mídia democrática, com seus altos e baixos, tais como os exemplificados acima, é que permitirá a construção de uma ética.

E as vítimas?

As vítimas devem lutar no nível pessoal pela remediação dos erros cometidos. O direito de resposta lhes garante isso. A justiça comum também. Já as dificuldades em se por em prática os mecanismos existentes, fazem parte de outra discussão. Por que, por exemplo, é tão difícil exigir explicações das TV’s quando elas abusam da unilateralidade, ou da exploração sensacionalista das desgraças alheias?

A repercussão de uma errata na Internet certamente não terá o mesmo alcance da gafe ou do deslize que a engendrou. Para isso existem pessoas como Nassif, eu, entre outros, que deverão amplificar e colocar em evidência a falta de ética de alguns.

O combate às injustiças da Internet se dão em dois planos: um deles é o da justiça comum, através de processos de calúnia e difamação, através do direito de resposta.

O outro é através da própria Internet, da invenção, por exemplo de um observatório dessas injustiças, da criação coletiva de uma ética da comunicação baseada na prática e não de mecanismos alienígenas de intervenção.

Contudo essa reflexão merece e deve ser aprofundada. Ela traz no seu bojo diversas outras questões, como por exemplo o direito de uso da imagem, dos dispositivos de celulares ultramodernos, até as câmeras de vigilância nas ruas, lojas, condomínios, etc.

Por exemplo: os defensores do ultrapassado direito autoral e de propriedade, deveriam questionar se é lícito impedir a troca de conteúdos culturais, num mundo onde a imagem pessoal dos cidadãos está exposta pelas câmeras de vigilância, pelos perfis de navegação (o Google que o diga), pela quebra de privacidade infringida pela Microsoft, etc.

A rigor, estamos entrando num mundo em que todos estão potencialmente expostos ao ridículo. Quem não quiser fazer parte disso, ao que tudo indica, deverá resgatar a antiga prática das máscaras e capuzes que eram utilizados na França do século XVIII, quando as personalidades queriam sair às ruas e desfrutar do mundanismo sem serem reconhecidas…

Antes de partir para sanar os problemas, deveríamos desenvolver um diagnóstico realista das causas. Se a justiça comum não funciona para o Rádio e a TV, deveríamos compreender porque isso acontece. Uma vez munidos dessa resposta, compreenderíamos fatalmente que as anomalias da Rede são um mero reflexo de uma sociedade que em matéria de democracia ainda engatinha e usa fraldas.

 

31/08/09

Carta São Paulo Pelo Acesso aos Bens Culturais

Assinem!

Para que as leis de direitos autorais sejam reformuladas e possamos continuar tendo acesso aos bens culturais pela Internet!

 

25/08/09

Nova lei Anti-fumo é segregacionista

Digam-me qual a razão de uma nova lei anti-fumo nos lugares públicos, quando já havia a lei que exigia um espaço adequado para os fumantes separado dos não fumantes?

Esta nova lei é segregacionista, transforma os fumantes da noite para o dia em criminosos e mais, transforma os não fumantes em extremistas irados do “politicamentecorreto”

É uma lei que não pega na raiz do problema, que são as empresas fabricantes de cigarros e sua recusa intermitente em realizar pesquisas para auxiliar aqueles que querem parar de fumar, ou produzir cigarros com menos toxinas cancerígenas.

Também habilita os não fumantes a se tornarem, da noite para o dia em exímios mal educados caxias do politicamente correto.

Agora com o amparo da lei, um não fumante pode simplesmente tocar um fumante para longe do espaço público como se este se tratasse de um cachorro!

E na verdade é isso que tem acontecido.

Erga os braços aos brados os fumantes que já não foram agredidos (fisica ou verbalmente) por um caxias do politicamentecorreto!

Agora, diminuir taxas de pedágio no Estado de São Paulo, que são abusivas, isso nem passa pela cabeça de Chuchu do Serra, né?

Lei que segrega pessoas e corrobora com a má educação pra mim é nazismo!

 

26/06/09

MJ dancing, best steps

os melhores passos de michael jackson

 

AQUI

 

25/06/09

Michael Jackson ícone dos 80 morre aos 50 anos

Quem nasceu nos anos 60, 70 ou 80 não passou por esta vida sem ter tentado, pelo menos uma vez o “moonwalker”, famoso passo de dança inventado por este talentosíssimo cantor, compositor e dançarino.

Do estrelato comparável ao fenômeno “Beatles” à mais bizarra mutilação, Michael Jackson tem tanto a seu favor, quanto contra… fiquemos com o que há de melhor

veja AQUI

e

AQUI

 

23/06/09

Museu da Corrupção, idéia maravilhosa

Já se disse que o Brasil é um país sem memória.

Pensando nisso, “O Diário do Comércio inaugura o Museu da Corrupção on-line, para dar aos seus leitores uma medida referencial do que acontece de vergonhoso nos bastidores de todas as esferas de poder.”

Maravilhosa iniciativa, devia pedir recursos da lei Rouanet para sair do espaço virtual e vir para o mundo real, com a construção de um espaço físico para expor a vergonha nacional.

Um espaço físico? Um não! devia haver um museu da corrupção em cada cidade do país e um museu nacional da corrupção em Brasília!

segue o link aqui

VAMOS APOIAR ESSA INICIATIVA!

 

16/06/09

Amazônia, mais um golpe dos foderosos

De vez em quando ele, como que num momento agudo de dor de consciência, faz algo para agradar aqueles e aquelas que sonharam que seu governo seria para o bem da maioria dos brasileiros. Liberação de polpuda verba para construção de casas até populares seria um desses sinais do bem.

 

Há poucaas semanas no entanto, criou a medida provisória 458 para satisfazer os devastadores da Amazônia em sua sanha de extrair lucros.

 

Agora, chega com um decreto, supostamente para atender os ribeirinhos, indígenas, quilombolas, assentados e a agricultura familiar. Pelo novo decreto essa gente vai receber capacitação, apoio técnico e recursos financeiros para trabalhar de forma sustentável. Tudo bonito, tudo generoso.

 

Mas lá dentro do decreto há um artigo terceiro que é a armadilha. Diz que “considera-se também, manejo florestal comunitário e familiar, aquele que mesmo quando terceirizadas suas atividades operacionais, a comunidade local detém o plano de manejo florestal, sendo responsável por sua gestão e acompanhamento”. Isto é, a família que tiver um lote, ou comunidade que tiver numa área de floresta poderá ceder a outros, quer dizer, uma madeireira chega, deixa uns trocados na comunidade, extrai à madeira, e sai legalizada por que a responsável, a comunidade, assina o documento de certificação e pronto, está tudo regulamentado.

 

A capacitação dos pequenos donos dos lotes de terras está no papel, mas os órgãos responsáveis pela capacitação, ou são o Incra e Chico mendes, ou não existem ainda e nemse sabe quando existirão. Mas as medeireiras já estão prepradas com recursos para fazer o manejo florestal, ou algo semelhante para inglesver e assim usufruir dos lucros a custa dos pequenos.

 

Ora, como o presidente da república que assinou esse decreto, é um homem inteligente está claro que sabe o que assinou. Portanto, ele está legalizando a exploração da floresta, usando como escudo dos madeireiros, os pobres posseiros que há pouco tempo ele chamou de entraves ao crescimento econômico do país. Como confiar em belos discursos das autoridades?

 

Edilberto Sena- Rádio Rural de Santarém”

 

08/06/09

RURALISTAS=VIGARISTAS

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;Ruralistas=Vigaristas;

08/06/09

Minc e os ruralistas

engraçada a celeuma em torno das declarações de Carlos Minc.

A Medida Provisória 452 que é essencial para que outras leis e medidas ambientais concernentes à Amazônia sejam editadas não foi aprovada a tempo. Daí vem os ruralistas e atropelam as prioridades, modificam os termos da outra MP 458 (que diz respeito à legalização de terras públicas tomadas por posseiros na Amazônia) baixando o prazo de vendas dos terrenos regularizados de dez para três anos, detalhe MUITO IMPORTANTE é que só baixam para três anos os terrenos de médio e grande porte, ou seja, aqueles que justamente beneficiam os grandes proprietários. Já os terrenos de pequeno porte só poderão ser vendidos após dez anos, ou seja, se você é um grande fazendeiro, está bem na fita, se é pequeno proprietário, tem que ficar preso à terra sem chances de se desfazer dela, mesmo quando tem uma arma apontada na sua cabeça, coisa que frequentemente acontece na amazônia, por conta das ações de grilagem…

enfim, a celeuma ocorre porque Carlos Minc chamou os ruralistas de vigaristas!

E não são?

Desde quando são outra coisa se não vigaristas, chantagistas e oportunistas?

05/06/09

Terceiro Mandato é ABOMINÀVEL!

Não sou Petista, nem sou Lulista. Concordo que o governo de Lula foi o melhor que já vi na vida, mas nem por isso votaria nele num terceiro mandato. Muito pelo contrário…

A questão não é contrapor-se a três mandatos consecutivos do governo Lula em particular, mas sim, contrapor-se à reforma constitucional que introduziria essa possibilidade em geral.

Em qualquer governo, a possibilidade de permanecer doze anos no poder representa uma situação muito próxima de ditadura. Ainda que haja eleições e uma aparente democracia, toda a máquina do Estado se voltaria para as duas reeleições consecutivas.

Depois de um século de lutas contra o populismo e paternalismo brasileiros, que ainda estão longe da extinção, a introdução de mais um mandato representaria o fortalecimento do uso da máquina do Estado em benefício próprio. Neste contexto, as eleições quadrianuais, por si só, não conseguiriam instituir uma situação de democracia.

O projeto do deputado Jackson Barreto (PMDB-SE) (veja a matéria aqui) é uma afronta à tradição de luta pela consolidação da democracia no Brasil e não deve, em hipótese alguma ser aprovado, para o bem da saúde política brasileira.

Ao invés disso, porque não realizar as reformas necessárias para diminuir o clientelismo, a corrupção na máquina estatal? Por que não reformar a legislação para que ela penalize mais duramente os que metem a mão no dinheiro público? Isso sim, seria servir à nação brasileira.

Se este projeto abominável passar, eu convoco todos os brasileiros para a revolta!

Quem quer viver num país onde um presidente pode ser reeleito infinitamente, que vá morar então na Venezuela!

27/04/09

Caiu na rede é PEIXE lê-lê Ah!

Foram três gols lindos! Mas o mais bonito mesmo foi ver que o Ronaldo continua feliz, jogando muito futebol, tranquilo, sem aquela cara de quem não aguenta tanto peso (de banha e pressão). Essa é a grande diferença de ter sido um ídolo caído no exterior e voltar descreditado a jogar no Brasil. No começo do ano eu mesma fui contra a idéia, achei que a contratação do Ronalducho era só um meio de mascarar um time mal composto, com poucas chances de vitória e grandes chances de voltar a ser rebaixado. Pensei: OH! Dear! estão contratando o Ferohomon porque querem se aproveitar da fama dele pra conquistar a torcida e manter a nação consolada!

Mas o Ronalducho veio tranquilo, sem aquela pressão de TER que ser um FENÔMENO. Veio ele próprio muito confiante de que ia voltar a ser tudo aquilo e CAGANDO E ANDANDO pra pressão dos jornalistas.

O resultado é um craque de bola que sabe muito! Tem visão de jogo, sabe criar situações de gol onde outros pastariam perdidos. Parabéns Ronalducho, não falo mais mal de você tá? Seu gol de cobertura foi uma obra de arte e é por isso que eu ainda assisto futebol…

PS: Romário, você ainda é meu predileto, não fica com ciúmes não…

23/04/09

Cansado de procurar emprego?

Isso é uma propaganda voluntária!

Nos dias de hoje não faz mais sentido algum bater perna para distribuir currículo. Com a tecnologia da Internet, este tipo de investimento tornou-se obsoleto. Não que não seja ainda importante bater de porta em porta, mas considerando as possibilidades oferecidas pela web, é um tanto absurdo sair por aí gastando o que restou do salário desemprego, sem a certeza de uma vaga.

Por isso, as opções de “balcões digitais de emprego” são uma excelente alternativa para buscar um meio decente de vida.

Contudo, muitos sites como Catho, Curriculum online, entre outros, exigem uma assinatura mensal de aproximadamente 30 reais para disponibilizar as ofertas e o seu currículo.

Na minha opinião isso é uma contradição, senão um abuso!

Oras! se você procura um emprego, supõe-se que a falta de dinheiro seja um motivo. Não seria melhor esses balcões digitais cobrarem somente depois de você conseguir ser empregado? Não seria mais justo?

E de repente não é que existe um serviço online de distribuição de oferta e procura de empregos que é totalmente gratuito!

Chama-se Infojobs.

Meu currículo já está lá. Ainda não consegui um emprego, mas tenho fé que em breve serei devidamente explorada pelo sistema, o que na atual conjuntura não é de todo ruim…

Para aqueles que estão na mesma situação o link segue abaixo.

INFOJOBS

abraços e boa sorte (menos aos meus concorrentes, sinto muito…)

06/04/09

Mais Sobre Rádios Livres e Comunitárias VI

Recebi esta semana duas notícias avassaladoras:

a primeira diz respeito a um projeto de lei que tá circulando no Congresso. Segue abaixo um trecho do e-mail que recebi:

“Raul Jungman remete pl da descriminalização e da anistia das rádios comunitárias para a COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO

Apresentação do REQ 4298/2009, pelo Dep. Raul Jungmann, que “Requer a revisão do despacho do PL nº 4.549/98 e apensados para incluir a Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado”.

17/3/2009 Mesa Diretora da Câmara dos Deputados (MESA)

Deferido o REQ 4298/09, conforme despacho do seguinte teor: “Defiro. Inclua-se no despacho inicial aposto ao PL nº 4549/1998, a Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, devendo manifestar-se antes da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, porquanto a Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática já se pronunciou sobre a matéria. NOVO DESPACHO: CSPCCO, CCTCI e CCJC (mérito e art. 54). Proposição sujeita à apreciação do Plenário. Regime de tramitação: Prioridade. Oficie-se e, após, publique-se”.

O que rola é o seguinte: segundo a lei 4117/62 em seu artigo 70, modificado em 1967, aquele que transmite via rádio, sem concessão do governo federal é preso e pode pegar até dois anos de jaula. A PL referida acima, pretendia discriminalizar isso, afinal, são mais de 15.000 rádios em todo Brasil que vão ao ar não para burlar o sistema de concessões, mas porque o sistema simplesmente não abre concessões… não interessa aos políticos que hajam cidadãos transmitindo em rádio frequência. Historicamente a radiofrequência é usada no Brasil como palanque eletrônico de curral eleitoral… então o tal Raul Jungman, enviou esse pedido de revisão para que se COMPROVE QUE AS RÁDIOS LIVRE E COMUNITÁRIAS NÃO FAZEM PARTE DO CRIME ORGANIZADO.

Ou seja: para descriminalizar, é necessário criminalizar um pouco mais… como isso é impossível o resultado já é previsível: haverá uma intensificação da criminalização! Possivelmente até uma revisão do dito artigo e um aumento da pena para quem for pego transmitindo!

comentarei mais sobre isso nos próximos dias…

A segunda notícia devastadora é que o ex-reitor da Unicamp, Jorge Tadeu, responsável pelo ingresso da Polícia Federal no campus para o fechamento da Rádio Muda, rádio livre dos estudantes e da comunidade de Barão Geraldo, em fevereiro desse ano, finalmente respondeu à moção aprovada por unanimidade pelos professores do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, onde repudiaram o fechamento da Rádio Muda, indicando inclusive que é dever da Unicamp proteger essa experiência.

A resposta do ex-reitor está bem de acordo com sua competência: “Eu não sabia…”

Ele não sabia! Não sabia que a polícia estava entrando no campus naquela madrugada para fechar a rádio!

A desculpa do “eu não sabia” popularizada pelo presidente Lula, é agora o recurso através do qual as autoridades nacionais se isentam de qualquer culpa e responsabilidade pelas suas ações no meio público.

Se o reitor não sabia, então, diga-se de passagem: INCOMPETENTE QUE NÃO MERECE ESTAR À FRENTE DE UMA DAS MAIORES UNIVERSIDADES DA AMÉRICA LATINA!

é isso.

18/03/09

Inesquecível Bruce Lee

Hoje eu tentei mostrar uma cena do Bruce Lee pra minha filha. Ela simplesmente ignorou minha tentativa. Não conhece Bruce Lee, nunca ouviu falar, logo: não deve ser legal!

Essa é a mentalidade da garotada hoje em dia. Se não tá na moda, não é legal.

Que pena que eles pensam assim, porque quem conhece sabe que poucas coisas são tão legais quanto ele.

(quem quando criança não tentou brincar com essa arma letal e não se deu mal não teve infância)

18/03/09

Orkut: Discografias

Causou revolta no site Orkut, o fechamento da comunidade Discografias, que postava links de redirecionamento para sites de armazenamento, onde você podia baixar discos inteiros de clássicos a novidades.

A desculpa do fechamento foi de que era a comunidade com o maior conteúdo ilegal da Internet.

Muitos internautas consideraram essa atitude ridícula, diante do mundo novo que se abre e que de fato, derruba por terra, com uma pá de cal e sal em cima, a propriedade de produtos culturais.

Bem… agora vocês sabem o que eu sinto quando a PF fecha rádios livres universitárias pelo país…

18/03/09

Tio Clô Morreu!!!

Clodovil morreu!!!

ele era o tipo de pessoa que vc ama ou odeia

eu confesso! gostava dos barracos dele, principalmente quando ele tinha aquele talk show na Manchete: Clô para os Íntimos…

Nunca vou esquecer a entrevista que ele fez com a Hebe Camargo:

Hebe: “Eu não sou apegada às coisas materiais…”

Clô (com toda ironia que lhe era peculiar): “Ah! Não? Nossa! Que lindo esse bracelete que você tá usando, o que é isso? Pérolas e diamantes!”

Dona Hebe só pode rir da tirada…

09/03/09

Ficou revoltado?

Ficou revoltad@ lendo tudo o que está publicado sobre o fechamento da Rádio Muda?

Só pra vc saber, a Muda é uma rádio dos estudantes da Unicamp que já existe há mais de 20 anos e é responsável pelo ressurgimento do movimento de rádios livres no Brasil. Através dela já falaram mais de 2.000 programadores e um número incontável de outras pessoas que passando por lá, ou ouvindo no rádio, decidiram testar e comprovar se a rádio era mesmo ou não livre.

quer saber mais? acesse www.radiolivre.org

e descubra o que são as rádios Livres, o que é a Rádio Muda

ficou ainda mais revoltad@ como fechamento da Muda, agora que entende melhor o que é isso?

então assine a petição online: “Radio Muda Manifesta.”http://http://www.ipetitions.com/petition/muda?e

Não se esqueça de que depois de assinar, a página irá direcionar você para uma outra, onde eles pedem uma colaboração em dinheiro. ATENÇÃO essa colaboração é para o site ipetitions, não para a Muda!

09/03/09

Mais sobre Rádios Livres e Comunitárias V

Em todos os governos, isso desde a Roma antiga, controlar os meios de comunicação significava ao mesmo tempo, aumentar e distribuir o poder.

O governo brasileiro, literalmente pra “inglês ver”, apóia a democratização dos meios de comunicação. Não falo apenas do governo do PT (quem assistiu aquele documentário “Muito Além do Cidadão Kane” deve se lembrar da frase dita pelo Lula: “num país em que meia dúzia de famílias controlam todos os meios de comunicação… eu penso que aí não se caracteriza uma democracia”), falo do governo em geral, de um plano, ou um projeto de Estado brasileiro, que enxerga os meios de comunicação com os óculos do paternalismo, ou do coronelismo, ou da ditadura.

Na era da Internet, muitos jovens não entendem o significado da palavra democracia na comunicação, mas quem liga a TV todos os dias não percebe que o que ela não diz, o que ela não mostra, em geral é muito mais importante do que o que é dito e mostrado. Também não se questiona sobre quem escolhe o que vai ser mostrado no telejornal, as pautas que vão ser apresentadas pelo casal Barbie e Ken do telejornalismo e por quê?

Por que falar do castelo de gelo na Finlândia merece destaque do narrador durante o jogo de futebol? Por que isso é mais importante do que mostrar a repressão do governo e da polícia sobre aqueles que lutam para abrir espaço no mundo das comunicações ao cidadão comum?

Em outros termos: por que você que está me lendo agora não pode fazer um programa no rádio ou na TV?

Não é uma questão somente de querer, ou ter o dom pra isso. A questão é mais embaixo: é uma questão de poder.

Pois bem, o governo diz para a Comissão Internacional dos Direitos Humanos que apóia a democratização das comunicações, que apóia as rádios livres e comunitárias, que aprovou inclusive uma lei que legaliza essas rádios e outra que reserva um espaço nos canais a cabo para Tv’s livres e comunitárias.

O governo diz isso e faz mais: assina também todos os tratados internacionais concordando que as comunicações não devem ser matéria de repressão ou censura.

O governo só esquece de dizer que as leis aprovadas supostamente em apoio às manifestações cidadãs de comunicação via rádio e TV visam, exclusivamente, limitar, encolher, impedir que elas ocorram. (se duvidam, leiam “O Movimento de Rádios Livres e Comunitárias e a Democratização dos Meios de Comunicação no Brasil” da prof. Cristiane Andriotti, ou “Rádio Comunitária não é Crime” do delegado da Polícia Federal Armando Coelho Neto, ou ainda “Rádios Comunitárias” do juíz federal Paulo Fernando Silveira)

Daí quando um magistrado pega um processo de fechamento de rádio como o da Rádio Muda, lê que a emissora estava no ar de forma ilegal, “interferindo nas comunicações de aeroportos” e toda a sorte de mentiras que os representantes mais arraigados do paternalismo nacional propõem como verdades absolutas, é natural que ele se sinta confuso.

Se um magistrado não pegar todas as leis que versam sobre a matéria e analisá-las de acordo com o contexto em que surgiram, não vai entender que há um abismo entre teoria e prática, entre o que se diz e o que se faz.

Não é somente o argumento de que a democracia na comunicação é condição sem a qual não há democracia (como se esse argumento por si só já não bastasse né?). É também, a necessidade de se considerar as coisas dentro de seu contexto histórico-político. Se essas leis que estão aí fossem suficientes para garantir democracia na comunicação, não haveriam rádios ilegais no ar, e ao invés de aprendermos sobre o Palácio de Gelo na Finlândia, nós estaríamos aprendendo o que é e quanto é importante o debate público.

Também não se trata de apoiar cegamente as rádios e Tv’s ilegais: olhando para o contexto, o que são elas no geral? Mas também, especificamente, o que é esta rádio que foi fechada? Para quem ela fala, quem fala através dela e sobre o que? É uma rádio de igreja, ou de político, ou é uma rádio em que todas as pessoas podem se manifestar indo até ela, pegando seus microfones, ajudando na organização das pautas, aproximando as pessoas do fazer comunicativo, etc?

Trocando em miúdos, se aquela rádio é legítima, então ela não é ilegal.

Isso é a lição que a magistratura brasileira ainda precisa aprender: o legal vem sempre depois do legítimo e não o contrário.

08/03/09

Mais sobre Rádios Livres e Comunitárias IV

eles tentam, ah! e tentam!!

Mas não conseguem calar a nossa voz!

Viva a Muda!

03/03/09

Mais de Rádios Livres e Comunitárias III

Deu no CMI (recebido por e-mail)

“Editorial no CMI:

Manifestação em frente à Folha “de Elite” dia 7/3: contra o apoio do
jornal às ditaduras de ontem e de hoje
http://prod.midiaindependente.org/pt/blue/2009/03/441825.shtml

Enquanto o Estado promove nova onda de repressão às mídias livres e
comunitárias, a Folha “de Elite” fez uso do termo “ditabranda” em
editorial de 17/2, demonstrando a simpatia particular e os vínculos
históricos deste jornal com o regime militar. Depois, em resposta aos
comentários dos leitores, a Folha ofendeu os professores Maria Victória
Benevides e Fábio Konder Comparato, que tinham protestado. Outros
professores lançaram um abaixo-assinado em defesa dos colegas e contra a
postura antidemocrática da Folha “de Elite” que já conta com quase 6 mil
assinaturas. Convocada pelo Movimento dos Sem Mídia, no dia 7/3 haverá uma
manifestação em frente à sede da Folha de São Paulo, na rua Barão de
Limeira às 10h.

O CMI apóia estas manifestações, mas alerta que não adianta repudiar a
ditadura se não se discute e combate veementemente a violação diária e
atual dos direitos humanos que sofrem as populações pobres e os movimentos
sociais, com a privação de seus direitos fundamentais e ainda a
criminalização, humilhação, prisões arbitrárias, assassinatos, tortura
sistemática e massiva. Voluntários do CMI têm detectado o aumento da
violência estatal indiscriminada com as camadas pobres da população em
várias regiões do país, e até mesmo durante o Fórum Social Mundial, quando
um grande aparato repressivo ajudou a manter a população pobre afastada do
evento. Que no protesto em frente ao jornal condenemos não apenas o “ato
falho” da Folha “de Elite”, mas sua atuação e a da mídia corporativa em
geral para tornar invisíveis e criminalizar as camadas pobres e os
movimentos populares.”

25/02/09

Mais um sobre Rádios Livres e Rádios Comunitárias II (a missão…)

na semana do fechamento da Muda, no ar na Unicamp há mais de quinze anos, só posso falar sobre isso né?

Como já esgotei o espaço para os posts enormes esse mês, limito a colocar aqui apenas o link para o “Observatório da Imprensa”, onde você encontra o artigo ao qual o Dioclécio Luz se refere na parte um dessa sessão.

25/02/09

Mais um sobre Rádios Livres e Comunitárias

Abaixo segue mais um post enooooooooooooorme que vale a pena ser lido por aqueles que se interessam pela comunicação livre de censura ou licença.

Recebido por e-mail by Dioclécio Luz

“RÁDIOS COMUNITÁRIASProjeto do governo amplia repressãoPor Dioclécio Luz em 17/2/2009

O ano passado acabou para as rádios comunitárias com duas notícias, uma boa e uma ruim. A boa é que a Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) da Câmara dos Deputados, ninho dos parlamentares donos de emissoras comerciais, aprovou projeto substitutivo (PL nº 4549/98) do deputado Walter Pinheiro (PT-BA) anistiando os que foram punidos por colocar rádio no ar sem autorização. É o tipo de coisa que só acontece a cada cem anos. A notícia ruim é que o governo Lula encaminhou ao Congresso Nacional Projeto de Lei (nº 4573/08) que aumenta mais ainda a repressão sobre as rádios comunitárias. Isto é, quando todo mundo esperava que o governo do PT fosse apoiar a proposta avançada de Walter Pinheiro (companheiro de partido!), agora tramitando na última comissão da Câmara, ele manda uma outra absurdamente reacionária.Por que o governo Lula encaminhou Projeto de Lei tão ruim para o Congresso Nacional poucos dias depois da Câmara aprovar o substitutivo de Walter Pinheiro? A intenção do governo era atrapalhar o processo ou impedir avanços? Estamos tratando de má-fé do governo para com as rádios comunitárias? Quem articulou politicamente este projeto? Alguma entidade colaborou com ele?Má-fé e retrocessoDizem fontes seguras que a história desse projeto começou em setembro do ano passado, quando representantes de entidades de rádios comunitárias estiveram com o ministro da Justiça, Tarso Genro. Desse encontro, e de um acordo posteriormente firmado entre o Ministério da Justiça, Ministério das Comunicações e Casa Civil, teria brotado a proposta.Antes de analisar o PL do governo, gostaria de recordar apenas dois pontos do que escrevi na época (25/09/08) NESTE Observatório (“O que fazer pelas rádios comunitárias”) sobre esse encontro com Tarso Genro. Fiz duas sugestões ao governo:1. O Executivo deveria parar de continuar enrolando o movimento das rádios comunitárias.2. O Executivo já sabe o que fazer. Não se admite mais que erre em questões primárias.Está claro que esse PL não é um erro, mas uma opção política, um ato de má-fé e um retrocesso para a comunicação popular do país.”Expor a perigo” a segurançaO que diz o PL 4573/08?Ele começa mexendo numa velharia ainda viva contida no artigo 151 do Código Penal. A proposta elimina os incisos II, III e IV do parágrafo 1º do art. 151 do Código Penal (Decreto Lei nº 2448/40). Este fóssil jurídico, que ainda fala em coisas como “comunicação telegráfica ou radioelétrica” e em “aparelho radioelétrico”, até hoje é usado pela Polícia Federal como justificativa para reprimir rádios não autorizadas. Eis o texto completo. A parte em negrito é a que o Governo pretende subtrair:”Art. 151 – Devassar indevidamente o conteúdo de correspondência fechada, dirigida a outrem:Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.§ 1º – Na mesma pena incorre:I – quem se apossa indevidamente de correspondência alheia, embora não fechada e, no todo ou em parte, a sonega ou destrói;II – quem indevidamente divulga, transmite a outrem ou utiliza abusivamente comunicação telegráfica ou radioelétrica dirigida a terceiro, ou conversação telefônica entre outras pessoas;III – quem impede a comunicação ou a conversação referidas no número anterior;IV – quem instala ou utiliza estação ou aparelho radioelétrico, sem observância de disposição legal”.Com o fim destes incisos, fica tudo resolvido? Não é bem assim. Trata-se de um engodo, uma armadilha. Porque o PL 4573/08 também propõe mudanças no Parágrafo 1º do artigo 261 do Código Penal.Diz o texto original do Código Penal em vigor:”Art. 261 – Expor a perigo embarcação ou aeronave, própria ou alheia, ou praticar qualquer ato tendente a impedir ou dificultar navegação marítima, fluvial ou aérea:Pena – reclusão, de dois a cinco anos.Parágrafo 1º – Se do fato resulta naufrágio, submersão ou encalhe de embarcação ou a queda ou destruição de aeronave:Pena – reclusão, de quatro a doze anos” (grifo nosso).E agora a proposta do governo de como deve ficar este parágrafo 1º:”Parágrafo 1º-A Na mesma pena do caput incorre quem, mediante operação de serviços de radiodifusão, expõe a perigo a segurança de serviços de telecomunicações de emergência, de segurança pública ou fins exclusivamente militares, ou, ainda, o funcionamento de equipamentos médico-hospitalares” (grifo nosso).Politicamente espertoObserve que originalmente havia uma punição para quem “expõe a perigo” e outra punição no caso de “naufrágio… queda ou destruição de aeronave”. Se o acidente acontecia, a punição era maior. Existe uma diferença muito grande nisso. O PL do governo diz que basta a pessoa expor a aeronave ao perigo (não precisa que ocorra o acidente) para que ela seja condenada à pena de reclusão de dois a cinco anos. Hoje, esse tipo de ameaça (reclusão) paira somente sobre aquelas emissoras sem autorização; se esse projeto for aprovado todas podem ser citadas.Quanto aos riscos às aeronaves, como todo mundo sabe que rádio comunitária não derruba avião, os inimigos das rádios comunitárias nunca iriam ter um avião no chão que servisse de exemplo. Logo, estão tentando adequar o texto legal à ficção que criaram. Com isso, mudam um pouco a justificativa mitológica para repressão: a rádio não derruba avião, mas cria o perigo dele cair.À parte os deslumbramentos de burocrata, tecnoburocrata ou carrapato do poder, que traz para os dias atuais expressões típicas dos tempos de Machado de Assis (“expõe a perigo”) e a vontade férrea de defender o poder (e seu emprego), a redação do PL é uma tentativa escancarada de legitimar os abusos hoje cometidos pelos órgãos de repressão. É sabido que os inimigos das rádios comunitárias usam exatamente esses argumentos (interferência no sistema de aviação, na segurança e nos serviços de saúde) para cobrar mais repressão do Estado. Se hoje os agentes do Estado cometem abusos usando tais bobagens como argumento para fechar rádio, se este PL for aprovado eles estarão dentro da lei para enquadrar e botar na cadeia aqueles que, na sua opinião, merecem punição.É preciso reconhecer: quem bolou isso, embora tenha mofo no cérebro, foi muito esperto politicamente.O argumento de “derrubar avião”O mesmo Projeto revoga o Artigo 70 da Lei 4.117/62, mais um fóssil jurídico, este criado pela ditadura militar (Decreto 236/67) ainda hoje usado com pela Polícia Federal. E também estabelece que o artigo 183 da Lei 9472/97 (Lei Geral de Telecomunicações), muito usado pelos agentes da Anatel, não se aplica à radiodifusão.Se as leis 4.117/62 e 9.472/97 não serão utilizadas para reprimir as emissoras comunitárias, imagina-se que agora se fará uso da legislação de rádios comunitárias, a Lei 9.612/98. Está errado quem pensou nisso. O óbvio não funciona na política. Ao invés de incluir na lei pertinente todas as punições de que o tema trata, o governo transforma o caso num crime de ordem penal.Enfim, o que temos em resumo nessa primeira parte do projeto é:1) O Código Penal – e não mais a Lei 4.117/62 ou a Lei 9472/97 – pode ser o instrumento central para reprimir as emissoras, autorizadas ou não.2) Emissoras autorizadas ou não autorizadas podem ter seus equipamentos apreendidos e seus dirigentes podem ser submetidos ao processo penal. (Antes isso ocorria somente com as não-autorizadas).3) No Código Penal substitui-se a pena de “detenção, de um a seis meses, ou multa (art. 151) por uma de “reclusão de dois a cinco anos” (art. 261). Trocou seis por meia dúzia mais um pouco.4) A redação permite uma leitura subjetiva sobre a existência de crime. Um juiz, ou mesmo um desses agentes (!), pode achar que a emissora está provocando interferências em sistemas de segurança, equipamentos hospitalares (aparelho de tomografia?), telecomunicações e aeroviário e fechar a emissora. Hoje é assim. Fecha-se a rádio sob o argumento de que pode derrubar avião. Claro que há um lado otimista: juízes e agentes da Anatel de bom senso vão querer provas antes de fecharem a emissora.”Apoio cultural”Para as emissoras não-autorizadas no ar, não bastasse a incursão no Código Penal, o governo propõe um tratamento especial. Diz o texto do seu PL:”Art. 21– A operação de estação de radiodifusão sem autorização do poder Concedente constitui infração gravíssima sancionada com a apreensão dos equipamentos, multa e a suspensão do processo de autorização de outorga ou a impossibilidade de se habilitar em novo certame até o pagamento da referida multa”.A novidade é que antes o diretor da entidade era “apenas” indiciado em processo na Polícia Federal. Agora, além do indiciamento e da possibilidade de ser preso, e da apreensão dos equipamentos, ele e a entidade recebem uma outra punição: o processo da rádio ao qual está ligado fica paralisado até o pagamento da multa.O PL propõe modificações no artigo 21 da Lei 9.612/98 (lei das rádios comunitárias), o que trata das infrações cometidas pelas rádios.Com relação à publicidade, por exemplo, fica valendo o artigo 18, em vigor, que admite a propaganda apenas como “apoio cultural”. Mas o que é apoio cultural? A nova proposta do governo é medíocre porque não leva em conta que “apoio cultural” é um conceito sem definição. A norma operacional 01/04 (art. 19.6.1) diz que considera apoio cultural a “divulgação de mensagens institucionais”. Mas o que são “mensagens institucionais”? Isso só quem sabe é o agente repressor. O mesmo que aplica a multa quando acha que a rádio está descumprindo esse artigo.Estado contra o povoO Capítulo XI, do Decreto 2.615/98, que trata das infrações cometidas pelas rádios comunitárias, lista 29 motivos para punir. Mas não tem aí a questão da publicidade. Hoje, a Anatel multa, mas sem uma base legal. Portanto, esta mudança proposta pelo governo visa a atender aos interesses dos agentes repressores, que precisavam de uma base legal para fazer o que já fazem hoje.Deve-se considerar que para uma comunidade pobre conseguir recursos para pagar a multa imposta pelo poder público não é fácil. Na falta de recursos, a cobrança vai para dívida pública e os projetos sociais ligados à entidade são vetados – e assim também a própria rádio. Centenas de rádio foram multadas por operarem sem autorização ou por colocarem no ar publicidade que, segundo os agentes, infringe a lei.A multa é um instrumento de repressão política. Uma estratégia cruel: é criando dívidas que você aniquila o pobre. É o Estado contra o povo brasileiro. A serviço das elites econômicas (e não somente do campo da comunicação), o Estado faz uso desse instrumento.Uma proposta ridículaO destaque no projeto do governo é sua ênfase no combate ao proselitismo. Sua proposta estabelece como “infração gravíssima” a prática do proselitismo de qualquer natureza. Mas o que é “proselitismo”? A Lei 9.612/98, em pelo menos dois artigos (art. 4º, parágrafo 1º; art. 11), já faz o veto ao domínio das rádios comunitárias pelas igrejas e ao proselitismo que praticam. Mas, curiosamente, os agentes da Anatel e da PF nunca encontraram isso. Centenas de rádios são dominadas por padres e pastores e eles nada vêem. Em Copacabana, em Brasília, as antenas são maiores do que as torres das igrejas, se avistam a quilômetros, mas nem a PF nem a Anatel conseguem ver. São antenas invisíveis – talvez por razões espirituais. Ou seriam econômicas?Estudo feito no ano passado pelo professor Venício Lima e pelo consultor legislativo Cristiano Lopes revela aquilo que todo mundo já sabia, mas não tinha provas: o Ministério das Comunicações distribui autorizações de rádios comunitárias para políticos, padres e pastores aliados. Por que o Ministério da Justiça não apura essas denúncias? Por que não descobre quais os servidores públicos envolvidos nesta indecência? Por que a Polícia Federal, a Abin, o FBI, sei lá, não investigam a participação do ministro Hélio Costa nesta distribuição de rádios? Por que a Polícia Federal não investiga como a Igreja Católica conseguiu autorização para mais de 200 rádios ditas comunitárias, se isto é ilegal, imoral, indecente? Por que o Ministério da Justiça não investiga o que ocorre dentro da Casa Civil, aonde montaram um balcão para distribuir rádios comunitárias para X e Y?Fazer este tipo de coisa, depurar o setor, é muito mais do feitio do Ministério da Justiça e seria muito mais saudável para sociedade, do que fazer alianças com outros ministérios e apresentar esta proposta ridícula de projeto. A gente esperava mais de Tarso Genro e sua equipe.”

23/02/09

Sobre a Rádio Muda

Leia o post abaixo, é longo mas vale a pena.

Se quiser repudiar o ato, pode escrever uma mensagem para a reitoria da unicamp.

reitoria@unicamp.br

vamos botar a muda no ar de novo!!!

tenho dito!

23/02/09

Porta da Rádio Muda, pintura antiga

Porta da Rádio Muda, pintura antiga

Manifesto da Rádio Muda

Rádio Muda Manifesta.105.7 FM Livre Campinas-SP

Manifesto Rádio Muda 3 X 1 PF+Anatel

“Nao temos nada a perder. Temos tudo.”Sun Tzu

Os Piratas nos atacaram.Sequestraram nosso timoneiro DJ Computer.Hoje, dia 19/02/2009, às 5 da manhã, doze Piratas Federais (PF)saquearam todos os equipamentos do estúdio da Rádio Muda, rádio livre quefunciona há mais de 20 anos em Barão Geraldo, Campinas-SP. Em uma ação decorrente da “Operação Silêncio”, que fechou diversasrádios em todo o país, um bando de 14 homens, 12 agentesfederais, 2 chaveiros (um para segurar a chave e outro para rodar?),liderados por um delegado, tomaram de assalto o estúdio a mando da juízasubstituta Fernanda Soraia Pacheco Costa. Vandalizaram o estúdio, rasgaramcartazes e confiscaram todos os equipamentos.Nao havia nenhum mudeiro no momento da ação sórdida. A Rádio Muda é uma rádio que não é ilegal, nem legal, é uma rádio livre,pois, assim como inúmeras outras, não possui fins comerciais, nãopratica proselitismo religioso nem político partidário, e atua demaneira integrada a sua vizinhança, estabelecendo uma relação dereciprocidade através da qual quem ouve, pode falar, ou seja, todoouvinte é um emissor em potencial. Espalhadas pelo Brasil e pelo mundo,essas rádios baseiam-se na legitimidade que suas comunidades evizinhanças lhe conferem. Atua com baixa potência e atinge apenas umapequena região da cidade de Campinas. Ao invés da legalidade exigida porleis estatais que legitimam um sistema corrupto e viciado de concessãode radiodifusão, a legitimidade deste tipo de prática deve ser protegidacomo liberdade de expressão e organização local.

Qual é o papel da radiodifusão hoje?

As rádios comerciais, consideradas legais, integram o territórionacional a partir de interesses comerciaise culturais homogeneizantes. As rádios livres, consideradas ilegais,permitem que a pluralidade cultural sejalivremente expressa. Tudo aquilo que não encontraespaço na lucrativa e monopolizada mídia comercial tem a possibilidadede vazão nos meios geridos pela própria população.Mundialmente a mídia é controlada por 10 conglomerados. 40 empresas estãoligadas direta ou indiretamente a eles. No Brasil, 90% da mídia écontrolada por 13 famílias. Em Campinas, a RAC (Rede Anhanguera deComunicação) controla os principais meios de comunicação da cidade eregião.Centenas de rádios não comerciais espalhadas pelo Brasil e pelo mundoatuam no sentido contrário a essa situação de monopólio, reafirmando acapacidade de toda e qualquer pessoa de produzir informação.

Rádio Livre derruba avião?

Um dos principais argumentos contra às rádios livres e de baixa potênciaé que constituem séria ameaça para tráfego aéreo e a comunicação deemergência. Porém, nunca um acidente aéreo foi causado por este tipo deradiodifusão. Aliás, se fosse fácil assim, com umas mil rádioscomunitárias, Sadam teria vencido a invasão de Bush no Iraque…. seráque ele não pensou nisso, ou será que esta informação “técnica” não fazo menor sentido? Pra quem não sabe, aviões operam em uma frequência de rádio acima dafaixa de frequência das rádio FM. Para que uma rádio FM interfira nastransmissões aéreas de rádio, é necessário primeiro que o transmissoresteja desregulado e sem filtros. Hoje em dia, é muito comum o uso detransmissores que possuem filtros de harmônicos e filtros passa-faixa, quemesmo não sendo homologado pela Anatel, está dentro da máscara detransmissão da norma brasileira de radiodifusão, ou seja, que passou porum teste técnico no qual um analisador de espectro comprova que fora dafrequência de transmissão o sinal é fortemente atenuado, o que comprova suaa precisão e a capacidade de não interferência de um transmissor. Osegundo fator é a potência do transmissor.A prática mostra que as rádios livre funcionam com transmissores de baixapotência (potências altas significam custos altos). Comparados aostransmissores das rádios comerciais, com potências gigantes, nãorepresentam perigo de interferência nas comunicações aéreas, mesmo com umtransmissor não perfeitamente construído. Quem tem quecuidar da aferição dos seus transmissores potentes são as grandes rádioscomerciais, que apresentam altos riscos de interferência na comunicaçãoaérea!

Piratas?

Piratas são as rádios comerciais que querem o ouro!Não estamos atrás do lucro.

Livre?

O sistema de leis estatais prevê que a organização e concessão do direitode uso para as frequências de rádio seja realizado por um grupo depessoas restrito- técnicos, especialistas, políticos e grupos econômicos.A comunicação livre não reconhece o governo como única entidade capaz deelaborar leis e regras relativas ao funcionamento dos meios decomunicação.Propomos, através da prática, a apropriação e utilização de qualquer meiode comunicação e tecnologia.Todas as tecnologias são e deveriam ser consideradas bens universaisdestinadas ao desenvolvimento humano, sua inteligência, afeto ecomunicação.O conhecimento não pode ser aprisionado por leis medíocres que se baseiamem interesses mesquinhos de grupos políticos e econômicos ou mesmo de leisque não comportam a capacidade da população de produzir suas própriasinformações, a partir de meios de comunicação geridos coletivamente.Comunicação se realiza diariamente, nos momentos mais cotidianos. Ampliaressa comunicação de uma pessoa ou grupo através de meios tecnológicos éuma possibilidade e prática que amplia a democracia e a capacidade daspessoas de se comunicarem entre si: falando, ouvindo, produzindo equestionando.A comunicação está em todos nós, muito antes de existirem governos e leisque a regulamentassem: livre, intrínseca, potente e transformadora. Conclamamos todos e todas a produzirem mais e mais meios de comunicação. Não precisamos nos submeter ao monopólio! Nesse carnaval, sintonize-se, atue: ações pela mídia livre espalhadas peloterritório.

Organize próprias ações! A Muda não se cala!!!

Voltaremos a transmitir em breve!!

23/02/09

REVOLTA!!!

A Rádio Muda, em operação na Unicamp há mais de quinze anos foi fechada essa semana pela Polícia Federal. A Polícia entrou na emissora de madrugada, roubou todos os equipamentos (roubou sim! porque desde quando é proibido ter equipamentos como mesa de som e toca discos? alguém vai ganhar uma grana la dentro vendendo aquelas Technics…) e depois saiu de fininho, trocando as fechaduras pra esconder o rastro do arrombamento.

Segundo todas as leis, a polícia não pode: invadir sem mandato

levar embora os equipamentos (eles devem ser lacrados, pois o direito constitucional garante o direito à propriedade e a desapropriação SOMENTE APÓS JULGADO)

arrombar patrimônio público universitário

e finalmente, impor censura e restrição ao direito de liberdade de expressão.

ô seus meganha da Polícia Federal: por que não vão catar criminosos do colarinho branco que há anos vem vendendo o espectro radiofônico em troca de propina, hein?

23/02/09

Ledger e o Oscar 09

Heath Ledger

Heath Ledger

Já disse que este blog parece um oráculo onde eu posto minhas visões e depois retorno pra averiguar…

ano passado postei uma singela homenagem ao Heath Ledger, depois de ter assistido ao Batman no cinema. só esqueci de dizer que tinha certeza que o tio Oscar esse ano era dele!

parabéns e saudades das sessões pipocas (e também das fantasias eróticas que eu tinha com vc!!! rsrs)

Duvida que o Coringa do Ledger é do karamba!

Mate sua dúvida AQUI

*

19/02/09

Melinda Dolittle

Melinda Doolittle

Melinda Doolittle

Aqui no Littlerata vc também encontra música boa!!! Mesmo que tenha saído diretamente do American Idol (de duas temporadas atrás)

Minha simpatia com miss Dolittle vai além do nome.

Arrisco dizer que desde Aretha Franklin eu não via nada assim…

Esse disco Coming Back To You está um arraso.

É uma diva que devemos reverenciar.

17/02/09

Para os fans do “Senhor dos Anéis”

Se você é como eu e o Christopher Lee e também lê a obra de J.R.R. Tolkien “O Senhor dos Anéis” pelo menos uma vez por ano; se emociona com tamanha criatividade, se inspira com fantasias de mundos paralelos, viaja na maionese e gostaria de ser criança de novo…

se você é curioso pra karaka e gostaria de saber se as edições em português dessa obra fazem justiça à versão original em inglês, aqui você vai encontrar a resposta.

Achei há um tempo no 4shared um upload da obra “The Lord of the Rings” na versão original em Inglês e tomo aqui a liberdade de postar um link para uma conta do megaupload com uma cópia (sem fins lucrativos) dessa belíssima obra pra download.

Divirtam-se.

17/02/09

Vendo no Kibeloco

tava vendo agora o site Kibeloco um dos que eu mais curto na net. Há uma nova sessão chamada “pracas do Brasil” que faz troça do jeitinho brasileiro de avisar os desavisados através de placas. Isso me fez lembrar de uma (pena que não tirei a foto) que vi na estrada que liga Pouso Alegre (MG) à via Dutra e dizia o seguinte:

“Curva Perigosa a 200m: é verdade”

hahahahaha não era pixação não! “É verdade” impresso em letras de placa!

esse mineiros… rsrs

17/02/09

Igreja Renascer e o desabamento

Um prédio só desaba se: foi bombardeado, se houve um terremoto, ou se foi construído em condições de negligência.

Considerando o histórico de roubalheira da Igreja Renascer eu arrisco dizer que as obras dessa igreja foram negligentes.

Não seria a primeira vez no Brasil que uma obra vai abaixo por conta do uso de materiais de péssima qualidade, por conta, portanto, da ganância dos responsáveis pela sua construção.

Só não entendo ainda como as pessoas conseguem se afiliar (em pleno séc. XXI) religiosamente, principalmente a essas “spiritual business” que fabricam mitos, sonhos, falsas esperanças e segregacionismo em troca de dízimos. Acho quem nem Freud explicaria isso.

11/02/09

Coronelismo Eletrônico de Novo Tipo

As rádios comunitárias que são instrumentos da democratização dos meios de comunicação no Brasil têm sido sistematicamente apropriadas por políticos.

Isso caracteriza o que os estudiosos da matéria chamam de coronelismo eletrônico de novo tipo.

Confiara o estudo do prof. Venício Artur de Lima e seu pupilo Cristiano Lopez Aguiar para entender e se revoltar

11/02/09

Educação em SP

A super Apeoesp (sindicato dos professores do estado de sumpaulo)

conseguiu uma liminar que derrubou o processo seletivo classificatório entre professores eventuais.

Traduzindo: há os professores efetivos (concursados) e os não efetivos (eventuais). O processo seletivo visava encontrar dentre esses últimos, os mais qualificados para assumir as aulas que eventualmente aparecessem. Para tanto realizaram uma prova no final do ano passado.

Resumindo, a APEOESP derrubou o critério da prova que selecionava os mais qualificados. Por quê?

Eu arrisco dizer que é porque existe uma classe de professores que jamais prestaram ou passaram em concursos para se efetivarem e que vivem de aulas eventuais. Essa classe, composta por professores antigos, sobrevive do sistema de licenças de saúde que os efetivos tiram em massa todos os anos (para ganhar sem trabalhar na maioria das vezes e numa minoria, porque realmente têm problemas de saúde).

O resultado é que o processo seletivo excluiu da classificação uma boa porcentagem desses professores mal qualificados e a atuação da APEOESP neste caso, mostrou ser uma entidade representativa mais preocupada com a máfia das licenças e seus principais beneficiados do que com a qualidade de ensino.

Lamentável.

03/02/09

Obedece La Morsa

Não é nenhuma novidade esse vídeo, mas tem gente que ainda não viu. Se vc não viu, prepare-se! É um dos vídeos de terror mais aterrorizantes que eu já vi.

Tenho um amigo que não tem medo de morrer, mas morre de medo da La Morsa. Ele tem até algumas teorias, sobre mensagens subliminares, etc.

A história do vídeo, em resumo tosco é a seguinte: esse carinha aí (a Morsa) fez um vídeo exibicionista e postou na net. Outra pessoa pegou o vídeo e refez a edição sonora e o resultado é esse horror horroroso!

Dá pra desenvolver altas discussões (observem os sapatinhos estilo Shirley Temple, o erotismo infantilizado do ator, com uma trilha que mescla rotações ao contrário e outros efeitos sonoros e o resultado é a total e absoluta repugnância)

Viva La Morsa!

E não se esqueça de obedecê-la incondicionalmente…

03/02/09

Festival de Parintins 2008

Saiu o DVD oficial do Festival de Parintins 2008.

Vc pode encontrar no link:

Festival de Parintins 2008

28/01/09

Barraco Oba ma

Ele tem lábios cianóticos!

Ele tem prestígio, carisma e puderrrr!

ele acabou com o campo de concentração em Guantanamo!

ele é o super barraco

Barraco Oba!ma!

Não me levem a mal… não tô falando mal do cara! Só que… me acostumei a falar mal do presidente dos EUA… fazer o que né?

agora entrou esse negão aê mano! Puta brother da hora, fala bem pra caraio, corre doze quilômetros por dia (ops, quilômetro é uma medida de distância tipicamente européia, cerca de quantas milhas mesmo?)

lembra até o Collor né?

Super colorido, corre também, tem uma esposa gostosa, e chegou ao poder quase que do nada…

Ah! quer saber minha teoria?

Minha teoria é a seguinte (falando bem toscamente)

O partido Republican(d)o se ferrou, o Bushi, bushitizou everthing (em russo ele smerdiou tudo, em português: cagou geral). Quem seria o louco de tomar o poder dos EUA com toda essaconfusãoqueandarolandoporraê?

Quem?

Você gostaria de ser o presidente dos EUA nessa hora?

Eu não.

E duvido que o Partido Democrata ia querer o poder nessa mess (bagunça)!

Daí… solução simples (no estilo american way of life), para perder as eleições e deixar que o Republican(d)o resolva o problema que ele próprio criou: vamos lançar candidato à presidência que não vai ganhar NUNCA!

Vamos lançar para as prévias uma mulher e um black (negão)!

qualquer um que ganhar as prévias, não vai vencer as eleições mesmo…

(ah! meu! mas agora é fácil você montar essa teoria!)

-Eu diria que essa teoria já tava montada desde que a sra. Clinton apareceu como pré candidata, acho que até falei disso aqui nesse blog. Se não falei, quem me conhece que o diga – propaguei tanto essa teoria que até o meu pai, o ser mais cético com relação às minhas opiniões, comprou a idéia

Sra. Clinton (corna mansa) e o sr. Barracobamameu! – eles foram fabricados para perder as eleições!

Ops

Americanos tão estagnados que votaram no negão de lábios cianóticos!

Isso é uma revolução: como Lula no Brasil, Chaves na Venezuela, Uribe na Colômbia, Morales na Bolívia – é a América indo para a alternativa politicamente viável

e os democratas… abraçando o capeta

so sorry…

Obama vai ter que armar um Barraco pra lidar com a mess situation criada pelo seu antecessor apelidado pelo filósofo Tom Zé de “Bushit”

hahahaha so… so sorry… hahahahahaha

to até vendo a Ku Klux piscando de ódio

hahahahahaha

eu aqui, do terceiro sub-subdesenvolvido submundo só posso rir e dizer: depois do Bush… que venha a tempestade!

Ah! soou meio preconceituoso isso né? “depois de Bush que venha a tempestade (Obama)” – mas é que eu to tentando pensar como um norteamerican(d)o que colocaria a collor do obama antes do barak

ai que mess bagunçada ess

vixi

sorte para ele nas maratonas em camp david, que a Klan erre todos os tiros e que obama confunda-se com osama nos objetivos e acerte quando for pra errar!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s